Gramática da Língua Portuguesa

1. Seu “Afredo”

Seu Afredo (ele sempre subtraía o l do nome, ao se apresentar com uma ligeira curvatura: “Afredo Paiva, um seu criado…”), tornou-se inesquecível à minha infância porque tratava-se muito mais de um lingüista que de um encerador. Como encerador, não ia muito lá das pernas. Lembro-me que sempre depois de seu trabalho, minha mãe ficava passeando pela sala com uma flanelinha debaixo de cada pé, para melhorar o lustro. Mas como lingüista, cultor de vernáculo e aplicador de sutilezas gramaticais, seu Afredo estava sozinho.
Tratava-se de um mulato quarentão, ultra-respeitador, mas em quem a preocupação lingüística perturbava às vezes a colocação pronominal. Um dia, numa fila de ônibus, minha mãe ficou ligeiramente ressabiada quando seu Afredo, casualmente de passagem, parou junto a ela e perguntou-lhe à queima-roupa, na segunda do singular:
– Onde vais assim tão elegante?
Nós lhe dávamos uma bruta corda. Ele falava horas a fio, no ritmo do trabalho, fazendo os mais deliciosos pedantismos que já me foi dado ouvir. Uma vez, minha mãe, em meio à lide caseira, queixou-se do fatigante ramerrão do trabalho doméstico. Seu Afredo virou-se para ela e disse:
– Dona Lídia, o que a senhora precisa fazer é ir a um médico e tomar a sua quilometragem. Diz que é muito bão.
De outra feita, minha tia Graziela, recém-chegada de fora, cantarolava ao piano enquanto seu Afredo, acocorado perto dela, esfregava cera no soalho. Seu Afredo nunca tinha visto minha tia mais gorda. Pois bem: chegou-se a ela e perguntou-lhe:
– Cantas?
Minha tia, meio surpresa, respondeu com um riso amarelo:
– É, canto às vezes, de brincadeira…
Mas um tanto formalizada, foi queixar-se a minha mãe, que lhe explicou o temperamento do nosso encerador:
– Não, ele é assim mesmo. Isso não é falta de respeito, não. É excesso de… gramática.
Conta ela que seu Afredo, mal viu minha tia sair, chegou-se a ela com ar disfarçado e falou:
– Olhe aqui, dona Lídia, não leve a mal, mas essa menina, sua irmã, se ela pensa que pode cantar no rádio com essa voz, ‘tá redondamente enganada. Nem programa de calouro!
E a seguir, ponderou:
– Agora, piano é diferente. Pianista ela é!
E acrescentou:
– Eximinista pianista!

a) Identifique o sufixo presente nas palavras aplicador e encerador e identifique o tipo de modificação que produz nas palavras primitivas.
b) Identifique o afixo que surge na palavra curvatura e explique que tipo de modificação ele introduz na palavra primitiva.
c)

2. Para mascar com chiclets

Quem subiu, no novelo do chiclets,
ao fim do fio ou do desgastamento,
sem poder não sacudir fora, antes,
a borracha infensa e imune ao tempo;
imune ao tempo ou o tempo em coisa,
em pessoa, encarnado nessa borracha,
de tal maneira, e conforme ao tempo,
o chiclets ora se contrai ora se dilata,
e consubstante ao tempo, se rompe,
interrompe, embora logo se reemende,
e fique a romper-se, a reemendar-se,
sem usura nem fim, do fio de sempre.
No entanto quem, e saberente que ele
não encarna o tempo em sua borracha.
quem já ficou num primeiro chiclets
sem reincidir nessa coisa (ou nada).

Quem pôde não reincidir no chiclets,
e saberente que não encarna o tempo:
ele faz sentir o tempo e faz o homem
sentir que ele homem o está fazendo.
Faz o homem, sentindo o tempo dentro,
sentir dentro do tempo, em tempo-firme.
e com que, mascando o tempo chiclets,
imagine-o bem dominado, e o exorcize.
(MELO NETO, João Cabral de. Poesias completas ( 1940-1965) . 4. ed. Rio de

TRABALHANDO O TEXTO
1. Faça a depreensão dos morfemas presentes nas palavras desgastamento e encarnado e
explique os processos de formação que lhes deram origem.
2. Quais afixos podem ser percebidos na palavra consubstante? Qual o sentido que tem
essa palavra?
3. A aproximação das palavras rompe e interrompe revitaliza o valor do prefixo presente
nesta última? Explique.
4. Retire do texto as palavras em que surge o prefixo re- e comente as modificações que
ele produz nas palavras primitivas.
5. Qual o sentido da palavra saberente? Que tipo de afixo participa de sua formação?
6. É possível relacionar o prefixo presente na palavra exorcizar com o significado que
tem essa palavra? Comente.
7. Os prefixos são considerados um recurso muito eficiente para apresentar idéias e
conceitos de forma sintética. Isso acontece no texto? Comente.
8. Explique a relação que o texto estabelece entre o chiclets e o tempo. Que tipo de
dimensão adquire o ato de mascar chiclets?

1. Responda a cada um dos itens a seguir com uma palavra formada por sufixação. Como se chama:
a) o golpe dado com a cabeça?
b) um grupo de rapazes?
c) o conjunto de eleitores de uma dada região?
d) a ação de lavar?
e) uma plantação de jabuticabeiras?
1) um grupo de políticos desonestos?
g) o estabelecimento onde se vendem queijos?
h) o comerciante de queijos?
i) a planta cujo fruto é o café?
j)  o recipiente onde se guarda manteiga?

2. Substitua os verbos destacados por substantivos formados por derivação. Faça todas as modificações necessárias para obter frases inteligíveis.
a) Todos (decidiram) manter as reivindicações.
b) Todos decidiram (manter) as reivindicações.
c) Esperamos que os prazos estipulados (sejam cumpridos).
d) Atenderemos a todos de acordo com a ordem segundo a qual (chegaram). Não haverá exceções.
e) Continuaremos até que (tenhamos obtido) êxito.
f) Os moradores querem que as obras sejam (continuadas).
g) Os representantes dos países envolvidos no processo recomendaram que as contas (fossem bloqueadas).
h) Os representantes dos países envolvidos no processo (recomendaram) que as contas fossem bloqueadas.

3. Substitua as expressões destacadas por nomes formados por sufixação. Faça todas as modificações necessárias para obter frases inteligíveis.
a) (Aqueles que mantêm) esta entidade decidiram tomar providências (que saneiem suas finanças).
b) É um candidato (que não se pode eleger). Suas idéias privilegiam (aqueles que desrespeitam) as instituições.
c) (Aquelas que conduzem) o movimento (de reivindicação) devem ser cercadas por medidas (que as protejam).
d) (Os que venceram) a competição receberão prêmios (que não se podem descrever).
e) A presença (dos que defendem) nossa posição é fator (de que não se pode prescindir).
f) Foi uma decisão que agradou aos que lutam para que a floresta (seja preservada).
g) Ele entrou de (forma atabalhoada).

4. Não é apenas na língua portuguesa que se estuda na escola que os sufixos são usados para formar novas palavras: isso acontece também na língua portuguesa do cotidiano e dos veículos de comunicação de massa. Baseado no seu conhecimento do valor dos sufixos, explique o sentido das seguintes palavras:
a) tietar, tietagem
b) badalação, esnobação
c) sanduicheria, danceteria
d) roqueiro, grafiteiro
e) pichador, pichação
f) prefeiturável, ministeriável, presidenciável

1. Substitua cada conjunto destacado por uma única palavra, formada por prefixação.
a) O juiz (lerá novamente) os documentos do processo.
b) É necessário (fazer outra vez) todos os cálculos.
c) Depois de vários anos, vou (tornar a ver) meus pais.
d) Não havia motivo para (pôr) os interesses individuais (antes dos) interesses coletivos.
e) Deixou a todos (sem proteção).
f) Seu comportamento (despido de honestidade) foi punido.
g) Queria uma liberdade (sem restrições).
h) Os documentos foram (datados com antecedência).
i) Depois de (passar além) destes limites, descansaremos.
j) Foi construída uma passagem (debaixo da terra) para evitar atropelamentos.
k) (Passe uma linha por baixo) das palavras cujo o significado você desconhece.
l) Descobriram restos de homens (que viveram antes do período histórico) no Piauí.
m) Há restos de animais (que viveram antes do Dilúvio) naquela região.
m) As civilizações (que existiam antes da chegada de Cristóvão Colombo) deixaram marcas na vida da América do Sul.
o) Precisava tomar injeções (dentro do músculo).

2. Em cada item há dois grupos de palavras que podem ser substituída por prefixação. Proceda como no exercício anterior e, em seguida, crie frases com as palavras obtidas.
a) diz-se do que está debaixo da terra.
diz-se de quem é da mesma terra.
b) passar uma linha por baixo da palavra.
dispor em linha reta (em fileira ou lado a lado).
c) diz-se de quem viveu antes do período histórico.
diz-se do que é contrário a história.
d) diz-se de quem viveu antes do Dilúvio.
diz-se do que é posterior ao Dilúvio.
e) diz-se de quem viveu antes de Colombo.
diz-se do que é posterior a chegada de Colombo.
f) diz-se do emprego que não oferece condições favoráveis ao trabalhador.
diz-se da falta de emprego.

3. Baseando-se em seu conhecimento do valor dos prefixos, procure explicar o
significado das seguintes palavras:
a) reencontro, desencontro
b) premeditar, pressentir
c) importar, exportar
d) imigrante, emigrante
e) imergir, emergir, submergir
f) intersecção
g) imoral, amoral
h) circunlóquio, colóquio
i) cisandino, cisalpino, transandino, transalpino
j) cogestão
k) digressão, regressão, progressão
l) expatriar, repatriar
m) introvertido, extrovertido
n) prefácio, posfácio
o) refluxo, defluxo
p) introspecção, retrospecção
q) subestimar, sobreestimar
r) ultraleve

Aponte as desinências e as vogais temáticas das seguintes palavras e flexões:
a) amor, amores
b) deputado, deputada
c) comemorava, comemorávamos, comemorássemos
d) pusesse, puséramos, pusésseis
e) pente, pentes
f) garrafa, garrafas
g) boné, bonés
h) caso, casos
i) moço, moços

Tags:

Faça a depreensão e a classificação dos morfemas formadores das seguintes
palavras e flexões:
a) realizar
b) irreal
c) real
d) realmente
e) realizável
f) realizava
g) realizáramos
h) realismo
i) realista

Tags:

Comparando as palavras a seguir, faça a depreensão dos morfemas que as
constituem:
a) desatualização
b) atualizar
c) atual
d) atualizado
e) atualizada
f) atualizados
g) atualmente
h) reatualizar
i) atualizador

Tags:

Cabelo
(Arnaldo Antunes e Jorge Ben)

Cabelo, cabeleira, cabeluda, descabelada
Cabelo, cabeleira, cabeluda, descabelada
Quem disse que cabelo não sente
Quem disse que cabelo não gosta de pente
Cabelo quando cresce é tempo
Cabelo embaraçado é vento
Cabelo vem lá de dentro
Cabelo é como pensamento
Quem pensa que cabelo é mato
Quem pensa que cabelo é pasto
Cabelo com orgulho é crina
Cilindros de espessura fina
Cabelo quer ficar pra cima
Laquê, fixador, gomalina
Cabelo, cabeleira, cabeluda, descabelada
Cabelo, cabeleira, cabeluda, descabelada
Quem quer a força de Sansão
Quem quer a juba de leão
Cabelo pode ser cortado
Cabelo pode ser comprido
Cabelo pode ser trançado
Cabelo pode ser tingido
Aparado ou escovado
Descolorido, descabelado
Cabelo pode ser bonito
Cruzado, seco ou molhado